terça-feira, 19 de abril de 2011

FÁBULAS

Fábulas são narrativas que apresentam animais como os personagens do enredo. O desfecho da mesma apresenta uma moral. Abaixo veremos alguns textos, inseridos nesse gênero, produzidos pela aluna Maria Helena da S. Carmo





FÁBULA 1 - O leão e o ratinho



Era uma floresta distante onde morava um leão. Ele não se deu conta que já estava ficando velho, sem ter uma companheira.
Um certo dia, ele ficou doente, sem ter nenhum amigo para cuidar dele, porque todos o temiam por ser violento, e só queria ser o melhor, e comer a quem passasse a sua frente.
Havia ali um grupo de ratinhos queram amigos e nunca se separavam uns dos outros.
Naquela floresta, existiam caçadores, e ficaram sabendo que o destemido leão estava doente e pensaram: "Vamos capturá-los". Mas não contavam com a astúcia do ratinho, que ouviu a conversa dos caçadores. Eles se reuniram em uma toca e foram salvar o leão, subiram com pedras e muitas formigas venenosas, que de uma mordia o caboclo sai numa carreira só. Ficaram escondidos numa árvore, quando os caçadores se aproximaram, eles jogaram as formigas, e as pedras, e eles sairam na carreira.
Até hoje, o leão agradece aos ratinhos por estar vivo, e pela sua bravura.


MORAL: Nunca diga que está só, tem sempre um amigo do seu lado, mesmo sem você perceber.



FÁBULA 2 - A cegonha e a raposa

Em um bosque muito longe daqui, morava uma cegonha, numa casinha humilde, sozinha e muito feliz. Tinha seus dotes culinários que chamava a atenção de quem passava famintos que ficavam lambendo os beiços.
Sem ela perceber, a raposa se aproximou e com sua astúcia medonha falou:
- Estou com fome, não psso passar vergonha, vou pular a janela da casa desta cegonha.
A raposa não contava com as armadilhas que a cegonha colocava em baixo da sua janela para os ladrões que estivessem de olho na sua panela.
A raposa, que se dizia esperta, foi logo caindo nela. Quando a cegonha viu, falou:
- Vou colocar na panela, pra nunca mais pular pra dentro da minha janela.
A raposa implorou:
- Não faça isso comigo, prometo nunca mais fazer coisas deste tipo, deixe que eu vá embora, não mereço este castigo.
Assim a cegonha fez, por ter um grande coração, perdoou a raposa, e ficou feliz . Arranjou um casamento com um famoso cegonhão, chamou a raposa para madrinha e foi aquele festão.

2 comentários:

» Cynthia Brito! disse...

Sempre achei interessante o gênero Fábula e, aliás, gostei muito do que a Maria Helena escreveu. Assim como nos causos populares ela brinca com as palavras, faz rima, encanta e consegue entreter o leitor em seu texto que se adequa conformidavelmente ao tema. Muito bom!

Casa Decorada disse...

Olá vizinha, eu estive andando pela redondeza visitando alguns amigos e passei em frente a sua casa (blog) e estava toda iluminada...entrei e me encantei com o que vi!
Quando você tiver um tempinho, passa lá em CASA para um café e se resolver ficar, coloco meu melhor traje e venho também para ficar !
Abraço
Da vizinha Valéria, mas pode me chamar de Vá!